O email é uma das ferramentas mais antigas da internet. Isso não podemos negar. Aliás, o email é até hoje a ferramenta mais usada por grande parte das pessoas e das empresas. E o mais interessante é que grande parte das pessoas tem duas ou mais contas, possibilitando assim uma maior organização dos assuntos.

Antigamente, o Hotmail.com era, disparado, o serviço mais usado pelos internautas. O Yahoo também brigava de perto. Mas uma grande novidade surgiu: dois gigas de armazenamento e integração com produtos da mesma marca. O Gmail mudou a forma de como as pessoas interagiam e contagiou o mundo da internet. A praticidade e uma enorme gama de oportunidades, como uma lista de contatos firme e consistente, colocou a plataforma de email do Google disparada na frente.

Segundo pesquisa feita pelo site Mashable, são enviados quase 150 bilhões de emails por dia. Desde a invenção da ferramenta, em 1971, já foram registradas cerca de 3,5 bilhões de contas. Do total, 75% das contas são usadas para fins profissionais, enquanto os outros 25% residuais são usados para fins pessoais.

Ainda segundo a pesquisa, 65% do tráfego de emails são considerados “spams”, porém grande parte vão parar na pasta destinada à esse fim e não chegam na visão do usuário.

Mas estou começando, como terei base de emails?

Essa dúvida sempre paira no ar das empresas que querem começar a disparar email marketing. Mas para fazer o trabalho correto não existe mágica. O trabalho precisa ter planejamento e ser executado da melhor maneira possível.

Se a sua empresa possuir loja física, deixe formulários impressos perto da base de pagamento e peça gentilmente para seus clientes preencherem. Sempre procure dar algo em troca, como, por exemplo, um desconto na próxima compra em caso de preenchimento. Alimente esses dados em uma base. À princípio, pode ser até em uma planilha bem simples, de controle.

Se tiver loja virtual, muito mais fácil ainda. Disponibilize um formulário de contato e guarde esses emails. Porém sempre deixe uma opção para o cliente aceitar receber essas comunicações em seu email. No caso de cadastro de login para comprar, deixe a opção de comunicação e avise seu cliente que serão disparados emails promocionais.

Posso segmentar?

Hoje existem ferramentas maravilhosas de segmentação. Acaba sendo um verdadeiro diferencial, e consigo explicar o grande motivo. Certa vez um amigo chegou em casa muito estressado e nervoso, apontando e berrando para seu smartphone. “Isso não é possível, Thiago”. Com calma, peguei um copo dágua e deixei ele explicar a situação.

Ele havia comprado um notebook da marca Sony Vaio por R$ 2.700,00. Ele optou na hora do cadastramento para receber email marketing, afim de conhecer as promoções. Dois dias após o produto ter chego, ele recebeu uma comunicação da loja virtual apontando o produto por R$ 1.900,00. Ou seja, ele pagou R$ 800,00 à mais. Se estivesse esperado um pouco mais, faria uma economia gigantesca de acordo com nossos moldes atuais.

Vejam como é complicado? Se a empresa tivesse segmentado e enviado somente para clientes que não haviam comprado esse produto, o desgaste da marca não teria acontecido. O próprio cliente ficaria satisfeito com seu produto e a empresa teria feito a sua promoção sem maiores problemas. Nessa loja, no entanto, ele disse que nunca mais compra “uma agulha sequer”.

A segmentação é importante, custa um pouco mais e é bem trabalhosa. Mas venhamos e convenhamos: é muito mais interessante acertar “na veia” 30 emails do que tentar embalar 800 e não ter o fim correto.E o pior: queimar a imagem da sua empresa.

05-e-mail-marketing-03

Vamos as dicas:

Dica 01: Base de emails

Conforme sugestão acima, invista pesado na base de emails. Ela trará o retorno desejado. Não adianta sair por aí comprando bases nas ruas e ficar dois dias encaminhando dois milhões de emails. Além de ser prática de spam, totalmente condenável, você não acertará seu público alvo. Frequente feiras e convenções referentes ao seu negócio e troque cartões de visitas. Ao chegar em casa, encaminhe um email para os profissionais e peça permissão para incluir o email na base. Explique que serão enviados conteúdos relevantes e promoções interessantes. Sem dúvida, não haverá negações.

Nas lojas físicas, forneça formulários impressos e peça para seus clientes preencherem. Avise também que serão enviados emails com promoções e ofereça algo em troca. Nas lojas virtuais, na hora que o cliente se cadastrar, ofereça a opção de inclusão de Newsletter.

Dica 02: Dê liberdade para o cliente sair

Tem clientes que nem se lembrar se optaram ou não em receber emails promocionais. Portanto, em todos os emails, deixe um link onde o próprio cliente pode sair da base. Essa liberdade é interessante e deixa no ar total seriedade por conta de sua empresa. Respeitar o consumidor é primordial em qualquer negócio.

Dica 03: Mandar com regularidade

Ok, base montada, template feito e primeiro disparo efetuado. Depois de 40 dias, outro disparo. Ou seja, a sua marca já foi apagada da mente do consumidor, pode ter certeza. A regularidade faz com que o consumidor e cliente entendam que sua empresa está preocupada com eles. Monte um planejamento em uma agenda virtual e aponte os dias que serão enviados os emails. Se for uma loja virtual, separe um dia para promover um pequeno desconto, enviando um código. Ou até mesmo a opção de “frete grátis”.

Dica 04: Mandar o que?

Não seja fútil no conteúdo. Capriche! Invista no layout correto e dê destaque para a sua logomarca. Pode ser encaminhado email com conteúdo ou com produtos, dependendo da necessidade. Se for conteúdo, envie apenas metade e coloque um link de “Leia mais”. Se seu conteúdo for bem produzido, sem dúvida haverá geração de tráfego no seu site, deixando seu produto e marca com alta visibilidade. Se forem produtos, não envie mais que três. Emails lotados de produtos com verdadeiras vitrines confundem o consumidor e faz com que ele saia rápido do email.

Dica 05: Reforce os canais de contato

Em todas as comunicações enviadas, promova o endereço do site, blog, email de contato, telefone e, se for o caso, endereço físico. Deixe essas informações no rodapé, mas bem visível. Quando o cliente lembrar da sua marca e precisar entrar em contato, não haverá dificuldade para acionar sua empresa.

Dica 06: Esqueça emails pesados e com anexos

As maiores empresas que provém contas de emails bloqueiam qualquer tipo de comunicação que venha com anexos. Ou seja, os anexos não funcionarão neste planejamento. Evite enviar listas de preços ou arquivos pdf. Insira o logotipo dentro do servidor e, na programação, “chame” ele de lá. Ou seja, o email abrirá rapidamente e o seu consumidor terá a impressão de profissionalismo e agilidade. Não esqueça: qualquer falha pode enviar os seus emails, o seu patrimônio, diretamente para a pasta “spam”. E cerca de 2% dos usuários verificam essa “bendita” pasta, apenas.

Dica 07: Sem rodeios

Vá direto ao ponto. Sem rodeios. O consumidor lê em poucos segundos e precisa partir para o próximo email. Ou então, se estiver dentro do metrô usando um smartphone, não vai esperar carregar aquele monte de texto sem objetividade. Seja objetivo. O que sua empresa quer, de fato? Reforçar a marca e branding? Então um email institucional é o ideal, publicando que sua empresa atingiu tal selo de qualidade. Divulgação de produto? Uma breve informação e a confirmação da disponibilidade já são o bastante para atrair seu cliente.

Dica 08: Evite ser pego pelo spam

Essa praga mundial penaliza também quem trabalha com coerência e correção. Basta uma pisada na bola. Se sua empresa não tem um profissional específico, procure alguma empresa que faça esse trabalho. Qualquer falha no código pode representar dinheiro no lixo. Ou qualquer falha na descrição das palavras pode ser um verdadeiro desastre na estratégia. Os robôs que recebem e enviam emails possuem alguns filtros. Então vamos supor que sua empresa vende roupas pela internet, e o analista envia um email marketing divulgando um novo produto. Na descrição, ele coloca “sexo: masculino”. Essa informação é importante para a comunicação, naquele momento. Mas o filtro anti spam entende que seu email está divulgando pornografia, e manda sua comunicação direto para a pasta de Spam. Ou seja, novamente dinheiro perdido ao vento.

Uma vez caracterizado como spam, infelizmente será quase impossível manter uma estratégia correta de email marketing.

Dica 09: Vou usar o servidor da minha empresa para enviar…

…não cometa esse erro. Não coloque endereços em cópia oculta e mande do “[email protected]”. Os servidores de email fatalmente vão bloquear e de nada vai adiantar.

Utilize serviços na internet, que são específicos para isso. No Brasil, diversas empresas possuem esse serviço e cobram por quantidade de emails. Além do mais essas empresas fornecem relatórios muito específicos, informando quem abriu, que horas abriu, quanto tempo ficou no email e quantos clientes acabaram saindo da sua base.

Dica 10: Mensure tudo!

Isso mesmo! Controle e mensure tudo que foi feito. Quanto sua empresa investiu em email marketing e quanto teve de retorno. Ou seja, se for para reforçar branding, verifique quantos clientes abriram o email. Sem dúvida, repararam na sua marca. Se for para vender produtos, qual o número da conversão? Quanto a sua loja virtual vendeu a partir daquela comunicação?

Faça uma relatório detalhado. Tenho certeza que, no final de tudo, o email marketing vai fazer você vender mais e reforçar a sua marca. É uma estratégia importantíssima do marketing digital e, se for integrada corretamente com outras estratégias, certamente trará retornos consistentes para sua empresa.